Automóvel
 
LED/OLED na iluminação automotiva

OLED (LED orgânico): Uma importante tendência em termos de iluminação automotiva

OLED: O LED orgânico é a futura tecnologia para iluminação automotiva

26.07.2013

Os LEDs já se tornaram um padrão em iluminação automotiva. O próximo desenvolvimento tecnológico se encontra nos blocos de partida, porém com o OLED (LED orgânico). Principal vantagem dos OLEDs: A tecnologia oferece opções totalmente novas para o design de iluminação e luminárias.

Os LEDs são fontes de luz pontuais, ao passo que os OLEDs são luzes superficiais. Várias aplicações de iluminação em carros - luz de seta, lanternas traseiras ou iluminação interior - exigem iluminação em áreas largas. O desafio mais significativo dos diodos emissores de luz orgânicos em aplicações automotivas é a estabilidade térmica: Para atender às exigências dos fabricantes, os OLEDs nas lanternas traseiras, por exemplo, devem resistir a picos de temperatura no mínimo de 85 graus Celsius.

A OSRAM tem trabalhado intensivamente para solucionar este desafio, com sucesso. No terceiro trimestre do último ano, foi apresentado um OLED capaz de resistir a estas altas temperaturas por várias centenas de horas, como parte de um teste em laboratório de longa duração. Nesse meio tempo, a resistência a altas temperaturas melhorou em vários milhares de horas. “No rastro desse sucesso de pesquisa, estamos agora abordando o uso futuro em veículos de série” informou o Dr. Ulrich Eisele, responsável pelo segmento de OLED na OSRAM. “O setor automotivo planeja e desenvolve seus modelos futuros com prazos de entrega muito longos”, afirmou Eisele. “E este é o motivo pelo qual temos que participar, ajudando a desenvolver os carros do futuro”.

O LED continua a ser a tecnologia da vez: Três motivos

LED/OLED em carros

Vida útil longa e robustez

Em termos de durabilidade e resistência, os diodos emissores de luz de alta qualidade são superiores a todas as outras formas de tecnologias de iluminação. Os LEDs fabricados pela Opto Semiconductors (OS) operam mais de 50.000 horas, o que significa que a iluminação praticamente dispensa manutenção por toda a vida útil em serviço de um veículo. Este um dos motivos pelo qual o LED já é o padrão em iluminação automotiva. Há mais de 30 anos atrás, nos estágios iniciais da tecnologia, os LEDs substituíam somente as lâmpadas incandescentes muito pequenas no interior dos veículos. As luzes de seta na traseira, bem como as lanternas traseiras e luzes de freio, receberam os LEDs há cerca de 10 anos atrás, com a posterior incorporação dos faróis de rodagem diurna.

Em 2010, o Audi A8 foi o primeiro carro totalmente equipado com faróis de LED, incluindo faróis com atenuação, faróis de facho total, luzes de curva e faróis à prova de intempéries. Para muitos outros modelos e fabricantes de veículos, os LEDs agora constituem o padrão para iluminação interior e exterior. Na realidade, os LEDs da OSRAM são utilizados em um de cada dois veículos novos. Os LEDs também são ecológicos e têm baixo consumo de energia. Os faróis automotivos baseados em LEDs consomem somente 28,7 W em cada veículo e para uma fonte de luz, comparados aos 125,4 W com as lâmpadas halógenas - uma economia em torno de 77%. Desse modo, a iluminação de LED reduz o consumo de combustível e ajuda na operação com baixas emissões de CO2.

.

Design de iluminação moderno

Por que os consumidores compram um determinado carro e não outro? O design é um fator decisivo de compra. Desse modo, as empresas envidam todos os esforços para proporcionar uma “aparência” especial aos seus modelos. “A luz se tornou um elemento essencial de design para os projetistas automotivos. Mesmo na completa escuridão, uma aparência típica da marca deverá ser reconhecida”, afirmou Florian Rommen, Gerente de Marketing de LEDs Automotivos Exteriores na OS.

Normalmente, diferentes LEDs são utilizados nas várias aplicações (farol de rodagem diurna, facho atenuável, facho total, luz de seta) dependendo dos requisitos técnicos específicos. Porém, independente do tipo de LED, todos os componentes estão disponíveis nos mesmos agrupamentos de branco, dando a eles uma aparência uniforme, sem interrupção. Os LEDs podem ser processados de forma similar, permitindo conceitos sofisticados de design a serem desenvolvidos sem esforço intenso. Em outubro de 2012, a OS apresentou o mais compacto LED de alta potência atual para o mercado automotivo, com o seu protótipo do Oslon Compact. “Por causa da construção extremamente compacta e da alta intensidade de luz, os pontos de luz nos faróis podem agora ser configurados de forma mais simples e também aleatoriamente”, afirmou Rommen – o “design da iluminação” do veículo produz uma aparência inconfundível, permitindo a realização de novas aplicações.

Segurança

Como os LEDs individuais podem ser alinhados em sequências estreitas, esta característica facilita as soluções com fitas de luzes decorativas, bem como aplicações tipo AFS (Sistema de Luzes Dianteiras Adaptativas). Veja como a iluminação dos faróis frontais se adapta ao ambiente ao redor: Em outras abordagens de veículos, vários LEDs nos faróis apagam por meio de controle inteligente para evitar ofuscamento do tráfego no sentido oposto. Outra tendência é a iluminação interior adaptativa: As fontes de luz no interior do veículo são atenuadas em vias não iluminadas para evitar incômodo aos outros motoristas e simplificar a adaptação dos olhos do condutor.

Por outro lado, se o motorista estiver em vias urbanas, o brilho da iluminação interior aumenta para permitir fácil reconhecimento dos instrumentos e superfícies contra o ambiente brilhante ao redor. E, se isto não for suficiente, a qualidade notável da iluminação dos LEDs e sua luz branca similar à luz do dia melhoram a percepção dos contrastes. Os outros motoristas, os buracos na via e obstáculos similares são identificados mais cedo e com maior clareza, provocando menor fadiga nos olhos dos motoristas.

Os LEDs são fontes de luz pontuais, ao passo que os OLEDs são luzes superficiais. Várias aplicações de iluminação em carros - luz de seta, lanternas traseiras ou iluminação interior - exigem iluminação em áreas largas. O desafio mais significativo dos diodos emissores de luz orgânicos em aplicações automotivas é a estabilidade térmica: Para atender às exigências dos fabricantes, os OLEDs nas lanternas traseiras, por exemplo, devem resistir a picos de temperatura no mínimo de 85 graus Celsius.

A OSRAM tem trabalhado intensivamente para solucionar este desafio, com sucesso. No terceiro trimestre do último ano, foi apresentado um OLED capaz de resistir a estas altas temperaturas por várias centenas de horas, como parte de um teste em laboratório de longa duração. Nesse meio tempo, a resistência a altas temperaturas melhorou em vários milhares de horas. “No rastro desse sucesso de pesquisa, estamos agora abordando o uso futuro em veículos de série” informou o Dr. Ulrich Eisele, responsável pelo segmento de OLED na OSRAM. “O setor automotivo planeja e desenvolve seus modelos futuros com prazos de entrega muito longos”, afirmou Eisele. “E este é o motivo pelo qual temos que participar, ajudando a desenvolver os carros do futuro”.

O LED continua a ser a tecnologia da vez: Três motivos

LED/OLED em carros

Vida útil longa e robustez

Em termos de durabilidade e resistência, os diodos emissores de luz de alta qualidade são superiores a todas as outras formas de tecnologias de iluminação. Os LEDs fabricados pela Opto Semiconductors (OS) operam mais de 50.000 horas, o que significa que a iluminação praticamente dispensa manutenção por toda a vida útil em serviço de um veículo. Este um dos motivos pelo qual o LED já é o padrão em iluminação automotiva. Há mais de 30 anos atrás, nos estágios iniciais da tecnologia, os LEDs substituíam somente as lâmpadas incandescentes muito pequenas no interior dos veículos. As luzes de seta na traseira, bem como as lanternas traseiras e luzes de freio, receberam os LEDs há cerca de 10 anos atrás, com a posterior incorporação dos faróis de rodagem diurna.

Em 2010, o Audi A8 foi o primeiro carro totalmente equipado com faróis de LED, incluindo faróis com atenuação, faróis de facho total, luzes de curva e faróis à prova de intempéries. Para muitos outros modelos e fabricantes de veículos, os LEDs agora constituem o padrão para iluminação interior e exterior. Na realidade, os LEDs da OSRAM são utilizados em um de cada dois veículos novos. Os LEDs também são ecológicos e têm baixo consumo de energia. Os faróis automotivos baseados em LEDs consomem somente 28,7 W em cada veículo e para uma fonte de luz, comparados aos 125,4 W com as lâmpadas halógenas - uma economia em torno de 77%. Desse modo, a iluminação de LED reduz o consumo de combustível e ajuda na operação com baixas emissões de CO2.

.

Design de iluminação moderno

Por que os consumidores compram um determinado carro e não outro? O design é um fator decisivo de compra. Desse modo, as empresas envidam todos os esforços para proporcionar uma “aparência” especial aos seus modelos. “A luz se tornou um elemento essencial de design para os projetistas automotivos. Mesmo na completa escuridão, uma aparência típica da marca deverá ser reconhecida”, afirmou Florian Rommen, Gerente de Marketing de LEDs Automotivos Exteriores na OS.

Normalmente, diferentes LEDs são utilizados nas várias aplicações (farol de rodagem diurna, facho atenuável, facho total, luz de seta) dependendo dos requisitos técnicos específicos. Porém, independente do tipo de LED, todos os componentes estão disponíveis nos mesmos agrupamentos de branco, dando a eles uma aparência uniforme, sem interrupção. Os LEDs podem ser processados de forma similar, permitindo conceitos sofisticados de design a serem desenvolvidos sem esforço intenso. Em outubro de 2012, a OS apresentou o mais compacto LED de alta potência atual para o mercado automotivo, com o seu protótipo do Oslon Compact. “Por causa da construção extremamente compacta e da alta intensidade de luz, os pontos de luz nos faróis podem agora ser configurados de forma mais simples e também aleatoriamente”, afirmou Rommen – o “design da iluminação” do veículo produz uma aparência inconfundível, permitindo a realização de novas aplicações.

Segurança

Como os LEDs individuais podem ser alinhados em sequências estreitas, esta característica facilita as soluções com fitas de luzes decorativas, bem como aplicações tipo AFS (Sistema de Luzes Dianteiras Adaptativas). Veja como a iluminação dos faróis frontais se adapta ao ambiente ao redor: Em outras abordagens de veículos, vários LEDs nos faróis apagam por meio de controle inteligente para evitar ofuscamento do tráfego no sentido oposto. Outra tendência é a iluminação interior adaptativa: As fontes de luz no interior do veículo são atenuadas em vias não iluminadas para evitar incômodo aos outros motoristas e simplificar a adaptação dos olhos do condutor.

Por outro lado, se o motorista estiver em vias urbanas, o brilho da iluminação interior aumenta para permitir fácil reconhecimento dos instrumentos e superfícies contra o ambiente brilhante ao redor. E, se isto não for suficiente, a qualidade notável da iluminação dos LEDs e sua luz branca similar à luz do dia melhoram a percepção dos contrastes. Os outros motoristas, os buracos na via e obstáculos similares são identificados mais cedo e com maior clareza, provocando menor fadiga nos olhos dos motoristas.

Os LEDs são fontes de luz pontuais, ao passo que os OLEDs são luzes superficiais. Várias aplicações de iluminação em carros - luz de seta, lanternas traseiras ou iluminação interior - exigem iluminação em áreas largas. O desafio mais significativo dos diodos emissores de luz orgânicos em aplicações automotivas é a estabilidade térmica: Para atender às exigências dos fabricantes, os OLEDs nas lanternas traseiras, por exemplo, devem resistir a picos de temperatura no mínimo de 85 graus Celsius.

A OSRAM tem trabalhado intensivamente para solucionar este desafio, com sucesso. No terceiro trimestre do último ano, foi apresentado um OLED capaz de resistir a estas altas temperaturas por várias centenas de horas, como parte de um teste em laboratório de longa duração. Nesse meio tempo, a resistência a altas temperaturas melhorou em vários milhares de horas. “No rastro desse sucesso de pesquisa, estamos agora abordando o uso futuro em veículos de série” informou o Dr. Ulrich Eisele, responsável pelo segmento de OLED na OSRAM. “O setor automotivo planeja e desenvolve seus modelos futuros com prazos de entrega muito longos”, afirmou Eisele. “E este é o motivo pelo qual temos que participar, ajudando a desenvolver os carros do futuro”.

O LED continua a ser a tecnologia da vez: Três motivos

LED/OLED em carros

Vida útil longa e robustez

Em termos de durabilidade e resistência, os diodos emissores de luz de alta qualidade são superiores a todas as outras formas de tecnologias de iluminação. Os LEDs fabricados pela Opto Semiconductors (OS) operam mais de 50.000 horas, o que significa que a iluminação praticamente dispensa manutenção por toda a vida útil em serviço de um veículo. Este um dos motivos pelo qual o LED já é o padrão em iluminação automotiva. Há mais de 30 anos atrás, nos estágios iniciais da tecnologia, os LEDs substituíam somente as lâmpadas incandescentes muito pequenas no interior dos veículos. As luzes de seta na traseira, bem como as lanternas traseiras e luzes de freio, receberam os LEDs há cerca de 10 anos atrás, com a posterior incorporação dos faróis de rodagem diurna.

Em 2010, o Audi A8 foi o primeiro carro totalmente equipado com faróis de LED, incluindo faróis com atenuação, faróis de facho total, luzes de curva e faróis à prova de intempéries. Para muitos outros modelos e fabricantes de veículos, os LEDs agora constituem o padrão para iluminação interior e exterior. Na realidade, os LEDs da OSRAM são utilizados em um de cada dois veículos novos. Os LEDs também são ecológicos e têm baixo consumo de energia. Os faróis automotivos baseados em LEDs consomem somente 28,7 W em cada veículo e para uma fonte de luz, comparados aos 125,4 W com as lâmpadas halógenas - uma economia em torno de 77%. Desse modo, a iluminação de LED reduz o consumo de combustível e ajuda na operação com baixas emissões de CO2.

.

Design de iluminação moderno

Por que os consumidores compram um determinado carro e não outro? O design é um fator decisivo de compra. Desse modo, as empresas envidam todos os esforços para proporcionar uma “aparência” especial aos seus modelos. “A luz se tornou um elemento essencial de design para os projetistas automotivos. Mesmo na completa escuridão, uma aparência típica da marca deverá ser reconhecida”, afirmou Florian Rommen, Gerente de Marketing de LEDs Automotivos Exteriores na OS.

Normalmente, diferentes LEDs são utilizados nas várias aplicações (farol de rodagem diurna, facho atenuável, facho total, luz de seta) dependendo dos requisitos técnicos específicos. Porém, independente do tipo de LED, todos os componentes estão disponíveis nos mesmos agrupamentos de branco, dando a eles uma aparência uniforme, sem interrupção. Os LEDs podem ser processados de forma similar, permitindo conceitos sofisticados de design a serem desenvolvidos sem esforço intenso. Em outubro de 2012, a OS apresentou o mais compacto LED de alta potência atual para o mercado automotivo, com o seu protótipo do Oslon Compact. “Por causa da construção extremamente compacta e da alta intensidade de luz, os pontos de luz nos faróis podem agora ser configurados de forma mais simples e também aleatoriamente”, afirmou Rommen – o “design da iluminação” do veículo produz uma aparência inconfundível, permitindo a realização de novas aplicações.

Segurança

Como os LEDs individuais podem ser alinhados em sequências estreitas, esta característica facilita as soluções com fitas de luzes decorativas, bem como aplicações tipo AFS (Sistema de Luzes Dianteiras Adaptativas). Veja como a iluminação dos faróis frontais se adapta ao ambiente ao redor: Em outras abordagens de veículos, vários LEDs nos faróis apagam por meio de controle inteligente para evitar ofuscamento do tráfego no sentido oposto. Outra tendência é a iluminação interior adaptativa: As fontes de luz no interior do veículo são atenuadas em vias não iluminadas para evitar incômodo aos outros motoristas e simplificar a adaptação dos olhos do condutor.

Por outro lado, se o motorista estiver em vias urbanas, o brilho da iluminação interior aumenta para permitir fácil reconhecimento dos instrumentos e superfícies contra o ambiente brilhante ao redor. E, se isto não for suficiente, a qualidade notável da iluminação dos LEDs e sua luz branca similar à luz do dia melhoram a percepção dos contrastes. Os outros motoristas, os buracos na via e obstáculos similares são identificados mais cedo e com maior clareza, provocando menor fadiga nos olhos dos motoristas.

Os LEDs são fontes de luz pontuais, ao passo que os OLEDs são luzes superficiais. Várias aplicações de iluminação em carros - luz de seta, lanternas traseiras ou iluminação interior - exigem iluminação em áreas largas. O desafio mais significativo dos diodos emissores de luz orgânicos em aplicações automotivas é a estabilidade térmica: Para atender às exigências dos fabricantes, os OLEDs nas lanternas traseiras, por exemplo, devem resistir a picos de temperatura no mínimo de 85 graus Celsius.

A OSRAM tem trabalhado intensivamente para solucionar este desafio, com sucesso. No terceiro trimestre do último ano, foi apresentado um OLED capaz de resistir a estas altas temperaturas por várias centenas de horas, como parte de um teste em laboratório de longa duração. Nesse meio tempo, a resistência a altas temperaturas melhorou em vários milhares de horas. “No rastro desse sucesso de pesquisa, estamos agora abordando o uso futuro em veículos de série” informou o Dr. Ulrich Eisele, responsável pelo segmento de OLED na OSRAM. “O setor automotivo planeja e desenvolve seus modelos futuros com prazos de entrega muito longos”, afirmou Eisele. “E este é o motivo pelo qual temos que participar, ajudando a desenvolver os carros do futuro”.

O LED continua a ser a tecnologia da vez: Três motivos

LED/OLED em carros

Vida útil longa e robustez

Em termos de durabilidade e resistência, os diodos emissores de luz de alta qualidade são superiores a todas as outras formas de tecnologias de iluminação. Os LEDs fabricados pela Opto Semiconductors (OS) operam mais de 50.000 horas, o que significa que a iluminação praticamente dispensa manutenção por toda a vida útil em serviço de um veículo. Este um dos motivos pelo qual o LED já é o padrão em iluminação automotiva. Há mais de 30 anos atrás, nos estágios iniciais da tecnologia, os LEDs substituíam somente as lâmpadas incandescentes muito pequenas no interior dos veículos. As luzes de seta na traseira, bem como as lanternas traseiras e luzes de freio, receberam os LEDs há cerca de 10 anos atrás, com a posterior incorporação dos faróis de rodagem diurna.

Em 2010, o Audi A8 foi o primeiro carro totalmente equipado com faróis de LED, incluindo faróis com atenuação, faróis de facho total, luzes de curva e faróis à prova de intempéries. Para muitos outros modelos e fabricantes de veículos, os LEDs agora constituem o padrão para iluminação interior e exterior. Na realidade, os LEDs da OSRAM são utilizados em um de cada dois veículos novos. Os LEDs também são ecológicos e têm baixo consumo de energia. Os faróis automotivos baseados em LEDs consomem somente 28,7 W em cada veículo e para uma fonte de luz, comparados aos 125,4 W com as lâmpadas halógenas - uma economia em torno de 77%. Desse modo, a iluminação de LED reduz o consumo de combustível e ajuda na operação com baixas emissões de CO2.

.

Design de iluminação moderno

Por que os consumidores compram um determinado carro e não outro? O design é um fator decisivo de compra. Desse modo, as empresas envidam todos os esforços para proporcionar uma “aparência” especial aos seus modelos. “A luz se tornou um elemento essencial de design para os projetistas automotivos. Mesmo na completa escuridão, uma aparência típica da marca deverá ser reconhecida”, afirmou Florian Rommen, Gerente de Marketing de LEDs Automotivos Exteriores na OS.

Normalmente, diferentes LEDs são utilizados nas várias aplicações (farol de rodagem diurna, facho atenuável, facho total, luz de seta) dependendo dos requisitos técnicos específicos. Porém, independente do tipo de LED, todos os componentes estão disponíveis nos mesmos agrupamentos de branco, dando a eles uma aparência uniforme, sem interrupção. Os LEDs podem ser processados de forma similar, permitindo conceitos sofisticados de design a serem desenvolvidos sem esforço intenso. Em outubro de 2012, a OS apresentou o mais compacto LED de alta potência atual para o mercado automotivo, com o seu protótipo do Oslon Compact. “Por causa da construção extremamente compacta e da alta intensidade de luz, os pontos de luz nos faróis podem agora ser configurados de forma mais simples e também aleatoriamente”, afirmou Rommen – o “design da iluminação” do veículo produz uma aparência inconfundível, permitindo a realização de novas aplicações.

Segurança

Como os LEDs individuais podem ser alinhados em sequências estreitas, esta característica facilita as soluções com fitas de luzes decorativas, bem como aplicações tipo AFS (Sistema de Luzes Dianteiras Adaptativas). Veja como a iluminação dos faróis frontais se adapta ao ambiente ao redor: Em outras abordagens de veículos, vários LEDs nos faróis apagam por meio de controle inteligente para evitar ofuscamento do tráfego no sentido oposto. Outra tendência é a iluminação interior adaptativa: As fontes de luz no interior do veículo são atenuadas em vias não iluminadas para evitar incômodo aos outros motoristas e simplificar a adaptação dos olhos do condutor.

Por outro lado, se o motorista estiver em vias urbanas, o brilho da iluminação interior aumenta para permitir fácil reconhecimento dos instrumentos e superfícies contra o ambiente brilhante ao redor. E, se isto não for suficiente, a qualidade notável da iluminação dos LEDs e sua luz branca similar à luz do dia melhoram a percepção dos contrastes. Os outros motoristas, os buracos na via e obstáculos similares são identificados mais cedo e com maior clareza, provocando menor fadiga nos olhos dos motoristas.